Livramento Hoje

Busca pela categoria "Política"

Ricardo Salles pede demissão do Ministério do Meio Ambiente

Foto: Pablo Valadares / Câmara dos Deputados
23.Jun.2021 // 18:00

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pediu demissão ao presidente Jair Bolsonaro na tarde desta quarta-feira (23). O ato de exoneração foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). O atual Secretário da Amazônia e Serviços Ambientais da pasta, Joaquim Álvaro Pereira Leite, foi nomeado em seu lugar. Salles é alvo de duas investigações no Supremo Tribunal Federal (STF). Na saída, ele alegou motivos familiares. Na terça-feira, Salles foi elogiado publicamente por Bolsonaro durante um evento no Planalto. Bolsonaro parabenizou Salles, disse que às vezes a herança do ministérios é uma “penca de processos” e afirmou que lamenta o tratamento dado “por alguns poucos desse outro Poder”. “Parabéns, Ricardo Salles. Não é fácil ocupar seu ministério. Por vezes, a herança fica apenas uma penca de processos. A gente lamenta como por vezes somos tratados por alguns poucos desse outro Poder, que é muito importante para todos nós”, disse. Investigações

Salles é alvo de duas investigações no STF. Na Operação Akuanduba, deflagrada em maio, ele foi alvo de mandados de busca e apreensão e teve seus sigilos bancários e fiscal quebrados. Esse processo é relatado pelo ministro Alexandre de Moraes. Em junho, a ministra Cármen Lúcia autorizou a abertura de um inquérito para apurar se o ministro obstruiu as investigações de um esquema de desmatamento ilegal na região, a Operação Handroanthus, considerada a maior já realizada.


Nise Yamaguchi diz que foi humilhada em CPI, e processa senadores Otto Alencar e Omar Aziz

Foto: Reprodução | Agência Senado
20.Jun.2021 // 17:00

A médica oncologista Nise Yamaguchi processou os senadores Otto Alencar (PSD-BA) e Omar Aziz, por danos morais, após sua participação na CPI da Covid no dia 1º de junho. Os advogados da médica afirmam que ela foi vítima de misoginia e humilhação durante depoimento e pede indenização de R$ 160 mil a cada um dos parlamentares. Na ação, a médica afirma que Aziz e Alencar abusaram do direito da imunidade parlamentar a que têm e “perpetraram um verdadeiro massacre moral”. A defesa de Yamaguchi afirmam que os senadores agiram “intencionalmente com morbo e com deliberada crueldade no escopo de destruir a imagem da médica perante toda a sociedade brasileira”. No processo, os advogados dizem ainda que a médica teve  “destroçada a sua dignidade enquanto médica, cientista e mulher”. A referência é ao momento em que Otto Alencar se dirige à médica, perguntando a diferença entre vírus e protozoário, e ela não soube responder corretamente. “Na grade curricular brasileira, os protozoários são estudados no 4° ano do estudo fundamental, fato este que por si só, demonstra a intenção de Otto Alencar em diminuir e humilhar publicamente Nise Yamaguchi, desprestigiando seu conhecimento científico.”, aponta a defesa da médica. Na avaliação dos advogados, o presidente da CPI foi “cúmplice” dos ataques à médica e, por isso, também está sendo processado.


'João Roma é o futuro da Bahia com toda certeza', diz Bolsonaro

Foto: Correspondente | Livramento Hoje
20.Jun.2021 // 15:01

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo (20) que o ministro da Cidadania, João Roma, “é o futuro da Bahia com toda certeza”. Bolsonaro participou de uma chamada de vídeo com Roma, que promoveu um encontro com lideranças políticas em Amargosa, e falou para os participantes. “Meus amigos da Bahia, um grande abraço a todos vocês. Parabéns pela liderança aí do João Roma. Queremos o melhor do Brasil. Ninguém melhor do que eu para expressar o que não gostaríamos que acontecesse com a nossa Bahia. Esse estado que é um país. Quem sabe na próxima oportunidade eu me faça presente para conversar com vocês aí. Mas o João Roma é o cara, é o futuro da Bahia com toda certeza”, disse o presidente. Antes da fala de Bolsonaro, os participantes gritavam “mito, mito, mito”, saudação que é uma marca dos bolsonaristas para o capitão reformado. Na chamada, Roma apresentou os participantes do encontro ao presidente, entre prefeitos e lideranças.




Em ato com Malafaia, Bolsonaro reafirma que vai nomear evangélico ao STF

Foto: Divulgação
19.Jun.2021 // 10:00

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reafirmou que vai nomear um evangélico para a vaga do ministro Marco Aurélio no Supremo Tribunal Federal (STF). A declaração foi feita nesta sexta-feira (18), durante um culto em Belém em homenagem aos 110 anos da igreja Assembleia de Deus, comandada pelo pastor Silas Malafaia. “Fiz um compromisso há quatro anos com os evangélicos do Brasil. Nós indicaremos um evangélico para que o Senado aceite seu nome e encaminhe para o Supremo Tribunal Federal, um irmão nosso em Cristo”, disse Bolsonaro. O mais cotado para assumir a vaga é o Advogado Geral da União, André Mendonça. De acordo com a jornalista Carolina Brigído do Uol, outro nome corre por fora. O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), tenta convencer o pai a nomear para a vaga o presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Humberto Martins.


Conselho de Ética da Assembleia recebe defesa de Capitão Alden e corrige data de depoimento

Foto: Alan Souza | Livramento Hoje
17.Jun.2021 // 13:05

Alvo de um processo disciplinar instaurado sob alegação de falta de decoro parlamentar, o deputado Capitão Alden (PSL) enviou ao Conselho de Ética e Decoro parlamentar da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) na última terça-feira (15) a documentação correspondente à sua defesa. A informação foi divulgada na manhã de quarta-feira (16) pelo presidente do Conselho, deputado Marquinho Viana (PSB), em nova reunião ordinária do colegiado. Segundo Viana, a defesa do representado foi enviada com antecedência em relação ao prazo limite desta quinta (17). O processo ético-disciplinar contra o deputado Capitão Alden (PSL) foi aberto atendendo um pedido assinado pelos 11 deputados da bancada de oposição da ALBA por causa de um vídeo divulgado por ele nas redes sociais. No vídeo, Capitão Alden acusa os parlamentares de oposição de receberem R$ 1,6 milhão da Prefeitura de Salvador. “Se eu ficasse na minha, sem fazer nada eu tava feito na vida, recebendo R$ 1,6 milhão da prefeitura que os deputados de oposição todos ganham”, disse ele, no vídeo veiculado nas redes sociais no último dia 27 de abril. Na representação que deu origem ao processo, os deputados da oposição argumentam que Capitão Alden, “de forma leviana e irresponsável”, aponta possíveis condutas criminosas aos seus pares, companheiros de bancada. Em pronunciamento de abertura da reunião ordinária desta quarta, Marquinho Viana informou ainda que a defesa de Alden foi encaminhada para todos os membros titulares e suplentes do Conselho de Ética da ALBA via sistema Paperless, sob protocolo 2021105498. Além do presidente Marquinho Viana e do vice, Sandro Régis (DEM), são membros titulares do Conselho de Ética os seguintes deputados: Luciano Simões Filho, Aderbal Caldas (PP), Euclides Fernandes (PDT), Bobô (PC do B), Fabíola Mansur (PSB) e Zé Raimundo (PT). O colegiado tem também como membros suplentes os deputados Eduardo Alencar (PSD), Eduardo Salles (PP), Fátima Nunes (PT), Neusa Cadore (PT), Samuel Jr. (PDT), Tiago Correia (PSDB) e Vitor Bonfim (PL). Ainda de acordo com Viana, o Conselho procurou atender todas as solicitações do Capitão Alden no que tange a cessão de informações e materiais a fim de não gerar obstáculos para a construção da defesa pelo deputado do PSL. “Atendemos praticamente todos pedidos dele. Inclusive, enviamos uma mídia com o conteúdo gravado por ele mesmo. Só não foi possível acatar o pleito de sigilo de Justiça. Capitão Alden queria que as sessões do Conselho de Ética e Decoro em relação ao seu processo disciplinar fossem realizadas às portas fechadas, mas isso não foi acatado por unanimidade”, afirmou. 


Witzel abandona CPI da Covid-19 após ataques de bolsonaristas

Foto: Reprodução | Reuters
16.Jun.2021 // 15:00

Na tarde desta quarta-feira (16), o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, participou da CPI da Covid-19 mesmo com Habeas corpus concedido pelo ministro Nunes Marques, do STF, no qual deu a opção ao ex-juiz a não comparecer a sessão. Durante a sessão, o senador Flávio Bolsonaro, que não é membro da CPI, trocou acusações com o Witzel e o clima esquentou entre os senadores e o depoente.  Logo após falas dos senadores da base do governo Eduardo Girão (Pode-CE) e Jorginho Mello (PL-SC), que adotaram tom mais agressivo para falar com Witzel, o depoente pediu para deixar a sessão. "Um senador se referiu a minha pessoa de forma leviana e ofensiva... entendi que seria melhor encerrar", disparou. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), então, anunciou o encerramento da sessão. Witzel, por sua vez, garantiu que poderá falar de forma privada e com apoio jurídico para relatar informações contra o governo federal. "Acredito que foi um depoimento muito esclarecedor sobre o que estamos vivendo no país, como a perseguição contra os governadores", afirmou Witzel em coletiva ao deixar a sessão. O ex-governador declarou ainda que o impeachment dele foi 'encomendado' e fez duras críticas ao governo federal, mas disse que só revelará os detalhes em segredo de justiça.


DEM anuncia expulsão de Rodrigo Maia do partido; leia comunicado na íntegra

Foto: Reprodução | Agência Brasil
14.Jun.2021 // 23:50

O Democratas (DEM) informou, na noite desta segunda-feira (14/6), a expulsão do deputado federal e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ), do partido. "Após garantir o amplo direito de defesa ao parlamentar, os membros da Executiva apreciaram o voto da relatora, deputada Prof. Dorinha. A comissão nacional, à unanimidade de votos, deliberou pelo cometimento de infração disciplinar, e consequente expulsão do deputado", afirma a legenda, em comunicado.

Confira, abaixo, a nota na íntegra:

"Nota Oficial do DEM

Em reunião realizada nesta segunda-feira (14), a Executiva Nacional do Democratas decidiu expulsar o deputado Rodrigo Maia (RJ) de seu quadro de filiados. Após garantir o amplo direito de defesa ao parlamentar, os membros da Executiva apreciaram o voto da relatora, deputada Prof. Dorinha. A comissão nacional, à unanimidade de votos, deliberou pelo cometimento de infração disciplinar, e consequente expulsão do deputado.

Executiva Nacional do Democratas"


Rui critica postura de Bolsonaro contra uso de máscaras

Foto: Alan Rich | Livramento Hoje
13.Jun.2021 // 09:00

Em visita ao município de Ibotirama, na última sexta-feira (11), onde entregou a iluminação de trecho da BR-242 e um novo sistema de abastecimento de água, o governador Rui Costa criticou a postura do presidente da República, Jair Bolsonaro, em defender a desobrigação do uso de máscaras protetoras para vacinados ou já recuperados da Covid-19. “Quem pede para o povo tirar a máscara é porque está achando pouco as quase 500 mil mortes. Num momento em que a maioria dos estados está com mais de 80% de lotação de UTI, o presidente da República falar em retirar máscaras é ser alguém que não tem absolutamente nenhuma sensibilidade com a dor e a vida humana. É algo que eu não consigo entender. Foge de qualquer racionalidade alguém que representa um país com esse comportamento”, afirmou o governador.


Para Eduardo Cunha, prisão de Lula foi um 'absurdo'

Foto: Reprodução | Agência Brasil
Por: Gazeta do Povo no dia 17.Mai.2021 // 14:00

O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB) afirmou que a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) após os desdobramentos da Lava Jato foi um "absurdo". Apesar disso, o emedebista, que também foi preso em decorrência das investigações da força-tarefa de Curitiba, descarta voltar a apoiar o PT. “Já vivi o PT. Não quero o PT de volta. Eu concordo que a prisão do Lula foi um absurdo, assim como a minha também o foi”, afirmou Cunha em entrevista à CNN Brasil. O ex-presidente da Câmara ainda avaliou que Lula e Bolsonaro terão de lidar com a rejeição do eleitorado em 2022. "O Bolsonaro só ganha a eleição se enfrentar o Lula e o Lula só ganha a eleição se enfrentar o Bolsonaro. Se Bolsonaro enfrentar qualquer outro vai perder, se Lula enfrentar qualquer outro vai perder. Tem anti PT e anti -Bolsonaro. Por isso que os dois vão para os segundo turno. Nesse momento, o antibolsonarismo está maior”, completou Cunha.


Datafolha: 49% apoiam impeachment de Bolsonaro, e 46% se dizem contrários

Foto: Reprodução | G1
16.Mai.2021 // 09:00

Uma pesquisa do Datafolha divulgada no último sábado (15) pelo site do jornal "Folha de S.Paulo" informa que 49% dos brasileiros apoiam o impeachment do presidente Jair Bolsonaro e 46% se dizem contrários. O Datafolha ouviu 2.071 pessoas na terça (11) e quarta-feira (12) de forma presencial. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Os percentuais representam um empate técnico entre os que apoiam e os que são contrários ao impeachment de Bolsonaro. Pela primeira vez, entretanto, a fatia dos que apoiam o impeachment é maior que a dos contrários. Em resumo:
Sim, deveria sofrer impeachment: 49% (eram 46% em março)
Não deveria sofrer impeachment: 46% (eram 50% em março)
Não sabem: 4%


Lula lidera corrida eleitoral de 2022 e marca 55% contra 32% de Bolsonaro no 2º turno

Foto: Reprodução
13.Mai.2021 // 07:00

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece com 41% das intenções de voto para a eleição presidencial de 2022 contra 23% do presidente Jair Bolsonaro, segundo pesquisa Datafiolha divulgada na última quarta-feira (12). Se ambos fossem ao segundo turno, o petista venceria por 55% a 32%. O levantamento sugere que, pelo menos por enquanto, os candidatos que se apresentam como centristas não conquistaram o apoio dos eleitores. Aparecem embolados: Sergio Moro, que até agora não manifestou intenção de concorrer à Presidência, com 7%; Ciro Gomes (PDT), com 6%; Luciano Huck (sem partido), com 4%; e João Doria (PSDB), com 3%. Como a margem de erro é de dois pontos percentuais, todos estão empatados tecnicamente. Na sequência, segundo o Datafolha, aparecem com 2%, Luiz Henrique Mandetta (DEM) e João Amoêdo (Novo). O Datafolha ouviu 2.071 pessoas em 146 municípios, de forma presencial, entre terça e quarta-feira.


Bahia tem 1,67 milhão de títulos eleitorais cancelados ou suspensos

Foto: Alan Rich | Livramento Hoje
05.Mai.2021 // 16:00

De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), o estado tem, atualmente, um total de 1.667.284 títulos cancelados ou suspensos. Este número não considera óbitos. Eleitores devem regularizar a situação no site do TRE. O título é cancelado quando o cidadão, com idade entre 18 e 70 anos, deixa de votar por três eleições consecutivas, sem justificativa. A situação acarreta em penalidades para o eleitor, que não estão vigentes no momento devido ao plantão extraordinário de TSE, para prevenir o contágio pelo novo coronavírus. Já a suspensão acontece quando o eleitor tem seus direitos políticos suspensos.


Durante Live Rui anuncia mudanças no secretariado, e confirma João Leão na Seplan e Leal na SDE

Divulgação/Sandra Travassos | ALBA
04.Mai.2021 // 19:30

Durante live na noite desta terça-feira (4), o governador Rui Costa (PT) anunciou mudanças em duas secretarias estaduais, ele informou que a Secretaria de Planejamento do Estado (Seplan) será comandada pelo vice-governador João Leão (PP), já a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) passa a ser chefiada pelo deputado estadual Nelson Leal (PP). De acordo com ele, “outras alterações serão feitas ao longo da semana e, eventualmente, na próxima semana a gente conclui”. Novas mudanças já deverão ser anunciadas entre quinta e sexta. As mudanças divulgadas nesta terça serão publicadas na edição do Diário Oficial do Estado de quarta (5). Na semana passada, Rui nomeou a major da Polícia Militar Denice Santiago – que foi candidata do PT a prefeita de Salvador – para a superintendência de Violência da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). Ela chegou a ser cogitada para assumir o comando da Casa Civil estadual e a Secretaria de Política para as Mulheres (SPM).


Adicione

Participe

Reclame

Denuncie